Jejum intermitente: tudo o que deve saber antes de iniciar esta dieta

prato vazio por causa do jejum intermitente

A dieta do jejum intermitente tem ganho popularidade de forma crescente, não só por promover uma acentuada perda de peso, mas também pelos recentes estudos que a apontam como possível dieta antienvelhecimento. Esta dieta consiste numa redução do número de refeições por dia, intercalando-as com períodos de jejum. A boa notícia é que, ao fazer esta dieta, não tem restrições de alimentos!

Como é possível perder peso com o jejum intermitente?

Quando o número de refeições diárias é reduzido e os períodos de jejum são prolongados, o número de calorias consumidas de forma diária é sempre menor.

Durante o processo de jejum ocorrem inúmeros mecanismos no organismo que contribuem para a diminuição do peso. Entre estes, encontra-se a libertação de várias hormonas, nomeadamente a hormona de crescimento. Esta é responsável pelo aumento da massa muscular. Neste processo, a noradrenalina também está aumentada, ajudando na diminuição da gordura corporal.

Embora pareça uma ideia extrema, passar algumas horas por dia em jejum, existem estudos que indicam que a dieta do jejum intermitente tem benefícios para a saúde, como a proteção da saúde cardiovascular, diminuição da inflamação e suspeita-se que possa ter influência na prevenção de algumas doenças.

Como fazer a dieta do jejum intermitente?

Existem diversas formas de fazer esta dieta, todas elas dividindo o dia em períodos de jejum e períodos de consumo “livre” de alimentos.

Protocolo Leangains ou método 16/8

De todos os métodos, este é o mais conhecido e fácil de executar. Consiste em períodos de alimentação de 8 horas, seguidos de períodos de jejum durante 16 horas. Nas mulheres recomendam-se habitualmente intervalos de alimentação de 10 horas e de jejum de 14 horas, pois as mulheres têm mais dificuldade em aguentar um jejum prolongado, quando comparadas com os homens, por terem menor massa muscular e, como consequência, menores reservas de açúcar
no organismo.

Exemplo de dia alimentar: pode fazer 2 a 4 refeições entre as 13 e as 21 horas e jejum durante o resto do dia.

Protocolo Eat-Stop-Eat

Este método consiste em fazer jejuns de 24 horas, uma a duas vezes por semana, o que pode ser desafiante para a maioria das pessoas, pelo que não aconselhamos a que comece com este, mas sim com o anterior.

Exemplo de semana alimentar: jantar às 19 horas, voltando a comer no dia seguinte à mesma hora.

Protocolo 5:2

Este método consiste em fazer um consumo alimentar normal durante 5 dias da semana e, nos restantes 2 dias, restringir o consumo a 500-600 Kcal por dia.

Exemplo de semana alimentar: na segunda e quinta-feira consumir apenas 500 Kcal divididas em duas refeições de 250 Kcal cada.

Se a perspetiva da dieta do jejum intermitente lhe agrada, faça-nos uma visita e marque a sua consulta de avaliação. Apesar de atraente e eficaz, esta dieta não é adequada a toda a gente, pois existem restrições relacionadas com alguns problemas de saúde.

Não adie mais a perda dos quilos extra, existe sempre uma dieta adequada a si e à sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LIGAR AGORA
PEDIR INFORMAÇÕES
MARCAR CONSULTA