Menu

Fios cirúrgicos

Os fios cirúrgicos, ou lifting biológico, revertem os efeitos da flacidez

O conceito de beleza, atualmente em vigor e procurado pela grande maioria das pessoas é o da manutenção de uma pele jovem, firme, sem manchas ou rugas.

Naturalmente que, com o avançar da idade, a pele começa a sofrer alterações, que de forma gradual modificarão seu aspeto, dando lugar ao envelhecimento cutâneo. No sentido de contrariar esse processo nasce da mais alta tecnologia japonesa a técnica dos fios cirúrgicos, ou lifting biológico.

Ver mais

A técnica dos fios cirúrgicos é uma intervenção não cirúrgica, alternativa ao facelift ou ritidectomia (cirurgia plástica), produzindo efeitos de rejuvenescimento facial através de um processo natural e não invasivo. É considerado um lifting biológico.

A técnica dos fios cirúrgicos é realizada em ambiente de ambulatório com recurso a anestesia local. É um procedimento indolor, realizado sem necessidade de incisões da pele. A sua aplicação é feita através de uma agulha guia, podendo esta ter diferentes calibres e capacidade de penetração nos tecidos, dependendo do caso em questão.

Os fios são inseridos através da pele até à camada da derme, neste local ativam os fibroblastos, células com a capacidade de sintetizar fibras de colagénio tipo I e III.

O colagénio é a proteína mais abundante do corpo humano, estando presente na pele, mas também nos músculos, cartilagens, tendões, ligamentos e ossos. A sua função é fornecer resistência e densidade. A partir dos 30 anos, os fibroblastos começam a diminuir a sua atividade, levando, no caso da pele, a uma diminuição da sua firmeza e luminosidade. Com o aumento da estimulação dos fibroblastos provocada por esta técnica, o processo do envelhecimento cutâneo pode ser então contrariado.

É um procedimento personalizado, sendo o número de fios cirúrgicos aplicados, avaliado caso a caso pelo cirurgião plástico. É possível a realização de retoques em qualquer momento com a introdução de novos fios.

Informe-se mais acerca da técnica dos fios cirúrgicos na clínica MyMoment, marque a sua consulta de avaliação, e conheça tudo o que este procedimento poderá fazer por si e pelo aspeto do seu rosto.

Dr. David Rasteiro

Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa e especialista em cirurgia plástica, reconstrutiva e estética pelo Hospital de São José de Lisboa (Ordem dos Médicos 44930).

Entre os vários estágios internacionais realizados, destacam-se o estágio em Cirurgia Plástica e Estética na Clinica Pietà em Curitiba, Brasil, sob a orientação da Dra. Ruth Graf, vencedora de dezenas de prémios e homenagens e no Hospital de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo – Centrinho. Em Nova Iorque, dedicou-se  à reconstrução mamária no Memorial Sloan Kettering Cancer Center e realizou ainda um Fellowship Internacional em Cirurgia Plástica Facial na Holanda (Erasmus MC) e Suíça (Laclinic).

Ver mais

Perguntas Frequentes

Normalmente, a pacientes com idades acima dos 35 anos, que registem os primeiros sinais de flacidez, ou que apresentem uma pele flácida no rosto. Podendo desta forma ser considerado tanto um tratamento preventivo, como reparador. As pessoas com mais idade possuem uma menor capacidade de produzir fibroblastos, assim sendo é um tratamento que permite contornar esse aspeto de forma segura, discreta e relativamente simples.

A aplicação dos fios cirúrgicos demora em média 30 minutos.

Os resultados surgem imediatamente após a aplicação.

Não. É uma intervenção realizada em ambiente de ambulatório.

A aplicação dos fios poderá resultar na formação de edema, que desaparece rapidamente. Ainda assim não é fator limitativo para que se retome as atividades do dia-a-dia, podendo estas começar de forma imediata. É possível a aplicação de maquilhagem imediatamente após a aplicação dos fios cirúrgicos.

As complicações e riscos associados são muito raros e quando acontecem, ocorrem por curtos períodos de tempo. Entre as complicações observadas constam o edema, hematomas e eritemas.

O procedimento não deixa marca nem cicatrizes.

Sim. Não tem capacidade de provocar reações de intolerância ou alérgicas, não interferindo com mecanismos imunológicos. Não é necessária a realização de cortes nem suturas. Apenas pode ser aplicado por médicos habilitados para o efeito, reduzindo a probabilidade de más práticas clínicas.