Menu
  • info@mymoment.pt
  • 21 894 94 94

Otoplastia

Correcção de deformidades nas orelhas

É a intervenção cirúrgica por excelência para corrigir a deformidade mais comum nas orelhas, as orelhas em abdução, condição vulgarmente conhecida por “orelhas de abano” ou “orelhas proeminentes” e que afeta aproximadamente 5% da população. É um procedimento cirúrgico procurado maioritariamente por homens e mulheres na faixa dos 20 a 30 anos de idade.

Ver mais

Essa alteração é de origem genética (determinada por caraterísticas familiares ou raciais) e pode causar constrangimento e angústia emocional, sobretudo nas crianças que passam a ser alvo de brincadeiras e alcunhas pouco simpáticas que poderão deixar marcas no seu desenvolvimento. Por esse motivo, a cirurgia é também aconselhada a partir dos 5 ou 6 anos de idade, antes da entrada na escola, para evitar que a criança possa ser alvo de bulling por parte dos colegas. O tratamento evitará assim o embaraço psicológico da criança. Na idade pré-escolar, a orelha está praticamente formada e possui quase o mesmo tamanho do que a de um adulto, sendo portanto uma idade adequada à realização do procedimento cirúrgico.

A orelha é constituída internamente por cartilage, que possui um relevo muito particular. A borda lateral elevada é intitulada de hélice e, em seguida, temos uma depressão chamada de escafa, seguindo-se uma outra elevação intitulada de anti-hélice. Em contacto com a cabeça, temos uma grande depressão chamada “concha”. A parte inferior é o lóbulo. Geralmente, a má formação da anti-hélice (parte mais saliente no centro da orelha, quando esta não é bem “desenhada”), associada ou não ao aumento da “concha” (parte mais funda da orelha e que está muito elevada), faz com que a orelha “se afaste” da cabeça), o que pode conduzir às orelhas em abdução.

Lóbulo da orelha bífido

Esta condição é caraterizada pelo “rasgão” do lóbulo da orelha, e também ela poderá ser resolvida na clínica MyMoment. É um procedimento extremamente rápido, demorando aproximadamente 10 minutos, realizado em ambiente de ambulatório, com recurso a anestesia local. O restauro do “rasgão” da orelha é feito através da eliminação da fenda, e há diferentes técnicas possíveis, consoante o caso em questão.

Como se realiza a Otoplastia?

É uma cirurgia simples e rápida – demora cerca de 60 minutos – que permite acabar de uma forma definitiva com as deformações nas orelhas.

A otoplastia é realizada sob anestesia local, sendo um procedimento relativamente simples, comparativamente com outras cirurgias. No caso das crianças, a anestesia poderá ser local com sedação, para que estejam a dormer durante o procedimento.

Depois de aplicada a anestesia, identifica-se a cartilagem auricular, reposiciona-se e desenha-se a nova forma e posição do pavilhão auricular. Todo o cuidado é dirigido para a simetria e naturalidade dos resultados. Posteriormente sutura-se a incisão, realizada atrás da orelha, ficando por isso totalmente disfarçada.

Após a cirurgia, o paciente permanecerá com um curativo modelador que será retirado nos dias seguintes. Devem proteger-se as orelhas de traumas e evitar determinadas posições durante o sono. O uso de uma fita elástica para o cabelo é recomendado durante 3 a 4 semanas, por forma a proteger e manter a orelha reposicionada.

A otoplastia oferece resultados quase imediatos e naturais em casos de “orelhas em abano”, logo que os curativos que sustentam o novo formato da orelha sejam removidos. Em geral, a otoplastia é um procedimento pouco doloroso, assim como o respectivo período pós-operatório, sendo apenas utilizados analgésicos ligeiros, para fazer face a algum desconforto ou dor.

É fundamental a partilha com o médico dos seus anseios e expectativas, de forma a conversarem sobre o que pode ser feito no seu caso em específico. É importante que saiba que a perfeição não existe mas que os resultados valem a pena, sendo esta uma cirurgia com resultados extremamente satisfatórios.

O cirurgião plástico da clínica MyMoment discutirá prováveis resultados da cirurgia, bem como riscos ou complicações associados que, hoje em dia, são minimizados devido à preparação anterior e aos cuidados pós operatórios recomendados.

Cuidados pré-cirúrgicos

É importante que programar a vida diária e social respeitando os cuidados necessários para a realização da cirurgia. O paciente deverá apresentar boas condições de saúde para realizar a intervenção. Na consulta médica, é realizada uma avaliação física completa, onde são solicitados exames laboratoriais. É de extrema importância avisar o cirurgião plástico caso o paciente apresente sintomas de gripe ou se sinta indisposto antes da cirurgia.

O médico deve ser informado sobre os medicamentos que habitualmente toma porque alguns deles devem ser suspensos, como é o caso dos anticoagulantes, os anti-inflamatórios ou quaisquer outros que possam aumentar o risco de hemorragias.

É fundamental que nas 8 horas antes da cirurgia se faça jejum absoluto de alimentos sólidos e líquidos.

O tempo de cirurgia, a anestesia a ser utilizada e todo o tipo de informações que deseje adquirir ser-lhe-ão indicados pelo cirurgião da clínica MyMoment.

Cuidados pós-cirúrgicos

Na primeira noite, uma vez que não é necessário internamento, é recomendado que o paciente esteja acompanhado por alguém, um amigo ou familiar. É provável que lhe sejam feitas algumas recomendações que incluem como cuidar das suas orelhas após a cirurgia, os medicamentos que tem de aplicar ou tomar com o objetivo de ajudar na cicatrização, assim como formas de reduzir o risco de infeção, e o esquema de acompanhamento pós-operatório com o cirurgião plástico.

Normalmente, se não houver nenhuma intercorrência, os pacientes são vistos pelo médico uma semana após a cirurgia. Os pontos são retirados em 7 a 12 dias, dependo do caso.

Ao longo dos meses após a cirurgia poderá verificar resultados mais naturais e definitivos.

A equipa da clínica MyMoment poderá esclarecer todas as suas dúvidas acerca deste procedimento.

Dr. David Rasteiro

Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa e especialista em cirurgia plástica, reconstrutiva e estética pelo Hospital de São José de Lisboa (Ordem dos Médicos 44930).

Entre os vários estágios internacionais realizados, destacam-se o estágio em Cirurgia Plástica e Estética na Clinica Pietà em Curitiba, Brasil, sob a orientação da Dra. Ruth Graf, vencedora de dezenas de prémios e homenagens e no Hospital de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo – Centrinho. Em Nova Iorque, dedicou-se  à reconstrução mamária no Memorial Sloan Kettering Cancer Center e realizou ainda um Fellowship Internacional em Cirurgia Plástica Facial na Holanda (Erasmus MC) e Suíça (Laclinic).

Ver mais

Dr. Nuno Maria

Com Mestrado Integrado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa e inscrito na Ordem dos Médicos com a cédula profissional número 49635.
Tornou-se Especialista em Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética, após terminar a sua formação no Hospital de São José, hospital de referência a nível nacional. Neste hospital dedica-se predominantemente à cirurgia de reconstrução mamária, procedimento intrinsecamente ligado às técnicas utilizadas em cirurgia estética.

Ver mais

Perguntas Frequentes

Quem procura esta cirurgia são pacientes que estão descontentes com a forma e posição dos seus pavilhões auriculares das suas orelhas.

As cicatrizes dependem do organismo do paciente e não do médico nem da intervenção. O processo de cicatrização é assim individualizado. Por norma, a cicatriz fica atrás da orelha, permanecendo praticamente imperceptível.

É fundamental adquirir uma fita elástica ou lenço, para ser utilizada após o procedimento.

Os resultados são imediatos.

Não é necessário internamento.

O retorno às atividades do dia-a-dia pode acontecer alguns dias após a cirurgia. Outras recomendações mais específicas relacionadas com curativos, exposição solar e regresso às atividades desportivas serão fornecidas pelo seu médico mas, na maioria dos casos, devem acontecer apenas um mês após a realização da cirurgia.

Uma semana após a cirurgia e, depois, após um mês, para confirmar os resultados. De seguida deverá realizasr-se outra consulta, cerca de seis meses após a cirurgia, para vigilância e para que sejam tiradas as fotografias definitivas do “depois” da cirurgia.

As complicações e riscos associados são raros devido à adequada preparação antes da cirurgia e aos cuidados recomendados no pós-operatório que o paciente deve seguir escrupulosamente.