Menu

Ginecomastia

Correcção do volume da mama do homem

Ginecomastia é o nome dado à cirurgia plástica que permite corrigir o excesso de gdura, que resulta numa mama masculina de maior volume. Pode ser realizada em apenas apenas uma ou em ambas as mamas.

Esta condição geralmente provoca trauma ou complexo no homem, quando expõe o seu corpo, pelo que cria também algum constrangimento social. O problema pode agravar-se na fase da adolescência ou mesmo mais tarde, pois o crescimento anormal das mamas pode afectar a auto-estima e a socialização masculina.

Ver mais

No homem adulto normal, não há tecido mamário palpável. A ginecomastia apresenta-se como uma massa na região mamária, palpável, variando de 1 a 10 centímetros de diâmetro. Apresenta-se geralmente unilateral, podendo desenvolver-se, após meses ou anos na outra mama. Quando as duas mamas estão comprometidas, pode haver assimetria e a história de desenvolvimento, sequencial ou simultâneo, é importante. O mamilo e a aréola raramente apresentam mudanças significativas, embora possa ocorrer hipertrofia dos mamilos e alargamento das aréolas. Porém, na maioria dos casos, a doença é assintomática.

Sabe-se que a maioria dos casos de ginecomastia apresenta-se na puberdade, com uma incidência de 65% nos jovens entre os 14 e 15 anos. Essa condição desaparece durante os últimos anos da adolescência, apresentando-se apenas em 7% aos 17 anos de idade. A incidência aumenta com a progressão da idade, atingindo até 30% nos homens idosos.

As diferentes causas de ginecomastia determinam a abordagem terapêutica mais apropriada. Na maioria dos casos, trata-se de um problema idiopático (isto é, sem causa conhecida), mas em muitos outros casos há múltiplos factores associados, nomeadamente fisiológicos (no período neonatal, na adolescência e na velhice, associados a diminuições dos níveis de testosterona), patológicos (associados a cirrose, tumores da supra-renal, hipertiroidismo, hipogonadismo, tumores testiculares) e farmacológicos (associados ao consumo de marijuana e esteróides e alguns medicamentos como bloqueadores dos canais de cálcio, espirinolactona, cimetidina e cetoconazol).

Se a causa for puberdade, é melhor esperar pelo menos dois anos para a regressão espontânea ocorrer. Nos casos de homens de idade mais avançada, o uso de medicação no tratamento das úlceras gástricas, tumores da glândula mamária e alterações hormonais exigem uma maior investigação clínica.

Normalmente, a Ginecomastia é realizada sob anestesia local com sedação oral.

Nos casos mais simples, é realizada uma lipoaspiração, quando há apenas acumulação de gordura sobre o músculo peitoral. Nas situações em que há um aumento anormal do tecido glandular mamário, este tem que ser retirado.

Cuidados pré-cirúrgicos

É importante programar a vida diária e social respeitando os cuidados necessários para a realização da cirurgia. O paciente deverá apresentar boas condições de saúde para realizar a intervenção. Na consulta médica, é realizada uma avaliação física completa, onde são solicitados exames laboratoriais. É de extrema importância avisar o cirurgião plástico caso o paciente apresente sintomas de gripe ou se sinta indisposto antes da cirurgia.

O médico deve ser informado sobre os medicamentos que habitualmente toma porque alguns deles devem ser suspensos, como é o caso dos anticoagulantes, os anti-inflamatórios ou quaisquer outros que possam aumentar o risco de hemorragias.

É fundamental que nas 8 horas antes da cirurgia se faça jejum absoluto de alimentos sólidos e líquidos. Os fumadores devem suspender hábitos tabágicos antes e depois da cirurgia até que a cicatrização normalize. Pessoas com diagnóstico de depressão devem avisar o médico durante a consulta de avaliação, para que sejam tomados os devidos cuidados.

O tempo de cirurgia, a anestesia a ser utilizada e todo o tipo de informações que deseje adquirir ser-lhe-ão indicados pelo cirurgião da clínica MyMoment.

Cuidados pós-cirúrgicos

Não deixe de pedir a alguém que o acompanhe e fique consigo, pelo menos, a primeira noite, após a cirurgia.

Seguir as recomendações de seu médico é fundamental para o sucesso da cirurgia. É importante que as incisões cirúrgicas não sejam sujeitas à força excessiva, à escoriação ou ao movimento durante o período de cicatrização. O paciente deve evitar levantar os braços ou pegar em pesos nos primeiros 30 dias após a cirurgia. Atenção que esta recomendação é mais rigorosa para os casos mais severos pelo que o seu médico dar-lhe-á todas as recomendações necessárias. Deve usar um colete compressivo durante, pelo menos, 30 dias.

A exposição solar é contraindicada nos primeiros 45 dias. Após esse período, pode fazê-lo mas com recurso ao uso de filtro solar.

O objetivo da cirurgia é obter um peitoral com bom aspecto estético, uma forma bem definida e equilibrada, de acordo com os padrões de beleza masculina.

Dr. David Rasteiro

Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa e especialista em cirurgia plástica, reconstrutiva e estética pelo Hospital de São José de Lisboa (Ordem dos Médicos 44930).

Entre os vários estágios internacionais realizados, destacam-se o estágio em Cirurgia Plástica e Estética na Clinica Pietà em Curitiba, Brasil, sob a orientação da Dra. Ruth Graf, vencedora de dezenas de prémios e homenagens e no Hospital de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo – Centrinho. Em Nova Iorque, dedicou-se  à reconstrução mamária no Memorial Sloan Kettering Cancer Center e realizou ainda um Fellowship Internacional em Cirurgia Plástica Facial na Holanda (Erasmus MC) e Suíça (Laclinic).

Ver mais

Perguntas Frequentes

A Ginecomastia é indicada para homens que sofrem com o aumento das glândulas mamárias e que apresentam um peito com caraterísticas e aspeto feminino. Os homens a partir da adolescência e na fase adulta estão aptos a realizar este procedimento.

A correção por Ginecomastia pode ser realizada com algumas técnicas. A sua escolha depende do tamanho e da forma da mama masculina. Pode alcançar-se um resultado satisfatório recorrendo apenas a uma lipoaspiração. Nos casos de aumento anormal da glândula mamária, é necessário removê-la, através de um corte na região da auréola. Embora muitos homens se preocupem com a cicatriz, a diferença de coloração entre a pele e auréola e a pele da região peitoral permite um bom disfarce, diminuindo possíveis transtornos. Uma ginecomastia mais severa impõe a realização de uma mamoplastia redutora para retirada do excesso de pele nos casos mais complexos. Nestes casos, a cicatriz passará por várias fases, até estabilizar e tornar-se praticamente imperceptível. Caso o homem tenha também estrias, o cirurgião plástico pode optar por eliminá-las junto com a pele retirada.

Os fumadores devem suspender os hábitos tabágicos antes e depois da cirurgia até que a cicatrização normalize. Pessoas com diagnóstico de depressão devem avisar o médico durante a consulta de avaliação, para que sejam tomados os devidos cuidados.

O paciente deve evitar levantar os braços ou pegar em pesos nos primeiros 30 dias após a cirurgia. Atenção que esta recomendação é mais rigorosa para os casos mais severos pelo que o seu médico dar-lhe-á todas as recomendações necessárias. Deve usar um colete compressivo durante, pelo menos, 30 dias.
Não deve expor-se ao sol pelo menos durante 45 dias. Após esse período, pode fazê-lo, com recurso ao uso de protetor solar.

Na maior parte dos casos não. No entanto a tolerância à dor é muito variável de pessoa para pessoa. Qualquer sensação de dor poderá ser revertida com a prescrição médica de analgésicos.

O resultado definitivo é atingido após três a seis meses, dependendo do tipo de técnica utilizada na cirurgia e da variabilidade individual do paciente.

Pode ser recomendada a realização de drenagem linfática pós-operatória para ajudar na recuperação cirúrgica. Este tratamento ajudará a reduzir o inchaço, a formação de hematomas e a possibilidade de nódulos de fibrose em baixo da pele, que a deixariam irregular.