Menu

Cirurgia íntima feminina

Correcção de imperfeições ou alterações na região genital feminina

A cirurgia íntima, cirurgia feminina, ou cirurgia genital, agrupa um conjunto de técnicas médico-cirúrgicas, para corrigir imperfeições ou alterações na região genital feminina, como por exemplo, a hipertrofia de grandes e pequenos lábios, acumulação de gordura excessiva no monte de vénus, púbis saliente, zona vaginal murcha ou mucosa vaginal escurecida.

Ver mais

Boa parte do prazer sexual da mulher está diretamente ligado à satisfação com o próprio corpo. Gorduras localizadas, insatisfação com o tamanho dos seios, por exemplo, podem interferir na saudável relação sexual da mulher. Num nível mais avançado, a vergonha do corpo por ter um órgão genital de aparência fora do comum, pode ter consequências psicológicas graves e até causar frigidez. Esta problemática, mais comum do que se imagina, pode ser facilmente resolvida com uma cirurgia plástica simples.

Geralmente conduzida com recurso a uma anestesia local, o principal objectivo da cirurgia íntima é conseguir que cada mulher se sinta à vontade na sua intimidade.

Existem várias cirurgias incluídas nesta categora de “cirurgia íntima” das mulheres:

  • Labioplastia: Redução ou remodelação dos lábios vaginais, quando são demasiado grandes, caídos ou assimétricos. É um procedimento realizado em mulheres que não gostam do tamanho ou formato dos seus lábios vaginais, o que pode causar constrangimento com um parceiro sexual ou desconforto em calças apertadas, durante a realização de exercício físico ou durante as relações sexuais. As causas das dimensões aumentadas dos lábios vaginais podem ser hereditárias, ou um aumento relacionado com a idade ou após um parto. Tradicionalmente, os cirurgiões plásticos realizam este procedimento por excisão das regiões protuberantes e sutura primária. A técnica que utilizamos preserva o contorno normal, a cor e a anatomia das bordas dos pequenos lábios. O lábio saliente é excisado em forma de “V” ou múltiplos “V”s e as bordas superior e inferior são suturadas juntas, gerando uma linha de sutura pequena e transversal, ao invés de uma linha de sutura longitudinal vertical nas bordas. Isto resulta em pequenos lábios de aparência mais normal e a cicatriz da cirurgia é praticamente indetectável. A labioplastia também poderá ser realizada nos grandes lábios, permitindo que estes sejam modificados no seu tamanho e espessura. Grandes lábios vaginais demasiado volumosos podem ser corrigidos através da lipoaspiração do excesso de gordura acumulada na zona. No caso dos grandes lábios se apresentarem “murchos” e flácidos, consequência do envelhecimento ou pós parto, poderá ser feito o preenchimento com ácido hialurónico ou através de lipofiling (preenchimento com a gordura do próprio corpo).
  • Plastia do Ponto G: Este procedimento visa o aumento do volume do ponto G, permitindo a obtenção de uma maior sensibilidade e prazer. É uma cirurgia bastante simples, com recurso a anestesia local. Não é necessário realizar incisões, não leva pontos, nem causa dor. Não provoca qualquer tipo de transtorno e condicionalismos, podendo retomar as suas atividades diárias e sexuais de forma imediata.
  • Estreitamento vaginal ou Perineoplastia: Trata-se de uma cirurgia que permite o ajustamento dos músculos, para melhoria da elasticidade e redução do canal vaginal (que pode ter ficado mais alargado devido a um parto ou ao avanço da idade). É indicado para mulheres que passam por diversos múltiplos partos, que têm dores nas relações sexuais ou relações sexuais instatisfatórias. O procedimento cirúrgico é feito através da retirada da mucosa e encerramento do músculo do canal vaginal, permitindo o seu estreitamento.) As cicatrizes são praticamente invisíveis, localizando-se no interior da vagina, ou no espaço entre a vagina e o ânus. No pós-parto, por norma, não é doloroso, podendo caminhar normalmente após a intervenção. A prática de exercício físico intenso não é recomendada nas primeiras quatro a oito semanas. As relações sexuais vaginais poderão ser retomadas após seis a nove semanas.
  • Clitoroplastia: Cirurgia que se pode realizar quando o clitóris tem um tamanho maior do que o considerado normal, ocasionando mal estar. Esta cirurgia destina-se a mulheres com clítoris demasiado grandes e hipertrofiados, permitindo a redução do tamanho e comprimento do mesmo. É possível recuperar uma maior sensibilidade e prazer sexual através desta cirurgia, pois se é verdade que é uma área extremamente sensível, muitas vezes o excesso de pele (o prepúcio), que cobre o clitóris é tanto que pode limitar o mesmo. Ao retirar a pele em excesso, através de um pequeno e simples procedimento, o clitóris é mais exposto, aumentando a sensibilidade da mulher. O procedimento consiste em realizar um pequeno corte em volta da coroa do clitóris e depois dobrá-lo. É feito com recurso a anestesia local, as cicatrizes são praticamente invisíveis e não é necessário retirar pontos, pois estes são absorvidos em duas semanas. O resultado é imediato, sendo que o aspeto final será atingido após duas a quatro semanas. É possível retomar de forma imediata as atividades diárias, e as relações sexuais vaginais após três a quatro semanas.
  • Lipoaspiração da zona púbica: Esta cirurgia permite a remoção de excesso de gordura na púbis feminina. É aconselhável a mulheres que possuem um excesso de gordura no monte de Vénus, pelo que uma aspiração na área deve ser realizada. No procedimento, o médico remove parte do tecido gorduroso da região, lipoaspirando a gordura com uma cânula de pequeno calibre. Não necessita de incisões nem provoca cicatrizes, uma vez que a gordura é retirada por um pequeno orifício. Normalmente, o procedimento requer anestesia peridural ou local com sedação e a paciente costuma receber alta no mesmo dia. O resultado é observável após duas a quatro semanas, período no qual o inchaço e equimoses desaparecem. É possível regressar às atividades diárias imediatamente, sendo que necessitará de usar uma cinta ligeiramente compressiva nas primeiras duas a três semanas. As relações sexuais vaginais poderão ser retomadas após duas a três semanas.
  • Himenoplastia: É uma pequena cirurgia de reconstrução do hímen. É realizada com recurso a anestesia local e demora cerca de 15 minutos. É uma cirurgia que se realiza em mulheres que consideram a virgindade como algo muito importante por razões culturais.

Seja com objectivos estéticos ou para correcção de alguma deformidade, a cirurgia íntima poderá aumentar a sua auto-estima e melhorar a sua vida sexual. Não tenha vergonha, deixe o preconceito de lado e procure-nos para uma primeira consulta de avaliação gratuita, na qual poderá colocar todas as suas dúvidas e expor todos os seus receios.

Dr. David Rasteiro

Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa e especialista em cirurgia plástica, reconstrutiva e estética pelo Hospital de São José de Lisboa (Ordem dos Médicos 44930).

Entre os vários estágios internacionais realizados, destacam-se o estágio em Cirurgia Plástica e Estética na Clinica Pietà em Curitiba, Brasil, sob a orientação da Dra. Ruth Graf, vencedora de dezenas de prémios e homenagens e no Hospital de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo – Centrinho. Em Nova Iorque, dedicou-se  à reconstrução mamária no Memorial Sloan Kettering Cancer Center e realizou ainda um Fellowship Internacional em Cirurgia Plástica Facial na Holanda (Erasmus MC) e Suíça (Laclinic).

Ver mais

Perguntas Frequentes

A tolerância à dor é uma característica muito individual de cada paciente. No entanto, por norma, não é uma intervenção dolorosa. Durante a cirurgia é administrada uma anestesia local, ou anestesia local com sedação, o que elimina qualquer sensação de dor. No pós-operatório, e sendo as zonas íntimas femininas muito enervadas e sensíveis, poderá sentir eventualmente algum desconforto, que poderá ser minimizado com a prescrição de analgésicos.

A cirurgia demora cerca de uma hora e meia e deve ser realizada numa clínica com cirurgiões plásticos especializados neste tipo de cirurgia, como é o caso da clínica MyMoment.

Se a paciente tem um trabalho relativamente calmo, provavelmente poderá voltar ao trabalho cinco dias depois.

A cirurgia pode ser realizada com anestesia local e sedação e a paciente tem alta no mesmo dia. Pode retornar suas atividades profissionais em poucos dias.

O tempo de inatividade sexual pós-cirúrgica depende do tipo de cirurgia que pretende. Sendo que poderá ir de nenhuma a 9 semanas.

É recomendado que não faça exercício físico extenuante nas primeiras quatro a oito semanas.